U.S. Markets closed

Grupo de segurança online incentiva pais a jogarem videogames com seus filhos

Getty Images

Por Joanna Whitehead - The Independent

Os pais devem jogar jogos online com seus filhos para entender melhor os riscos e benefícios envolvidos, de acordo com um grupo de segurança online. Um novo estudo, publicado na semana passada pela Internet Matters, especialista em segurança online, revelou que a maioria dos pais não se sente confiante para lidar com questões relacionadas aos jogos online, apesar de mais de três quartos das crianças jogarem videogames online.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

As descobertas indicam que mais da metade dos pais (55%) se preocupam com a possibilidade de que estranhos se aproximem de seus filhos através de plataformas de jogos online, e mais de um terço (38%) não sabem ao certo com quem seus filhos estão jogando.

Leia também

O relatório, intitulado Parenting Generation Game, incentiva os pais a entender os benefícios que os jogos podem oferecer. Entre os entrevistados, 62% sabem que jogar videogames online pode ajudar a desenvolver a capacidade de resolver problemas das crianças.

Diante das descobertas, a Internet Matters, organização sem fins lucrativos de Londres, criou uma série de recursos para oferecer aos pais informações sobre as vantagens e desvantagens dos jogos online - e incentiva-os a jogar com seus filhos.

O guia também inclui sugestões de videogames adequados para toda a família.

Andy Robertson, especialista em jogos da Internet Matters, acrescentou que a quantidade de jogos disponíveis é gigantesca.

Robertson afirmou que, ao se envolver nos jogos com a criança, os pais poderão “tirar proveito dos benefícios” e “comemorar” suas vitórias juntos.

Carolyn Bunting, diretora da Internet Matters, diz que pais que se envolvem regularmente nas atividades dos filhos estão “melhor posicionados para guiá-los diante de alguns dos problemas que eles possam vir a enfrentar”.

“Estamos incentivando os pais a fazer algo que pode ir contra a sua natureza mas que precisam tentar - se envolver. Com a maioria esmagadora de crianças jogando videogames online atualmente, este hábito tornou-se uma parte indissociável de crescer na era digital”.

Apesar da nova iniciativa, há preocupações sobre o potencial viciante dos jogos, e pedidos de que os desenvolvedores tomem atitudes para proteger os usuários, especialmente crianças e jovens.

O Comitê de Seleção do Departamento de Questões Digitais, Cultura, Mídia e Esporte do Reino Unido está fazendo uma pesquisa sobre as tecnologias viciantes para analisar os videogames e suas ‘caixas surpresa’: alguns acreditam que pagam por itens oferecidos que seriam uma porta de entrada para jogos de azar para jovens.

Uma nova pesquisa revelou que 1 em cada quatro crianças sofreu alguma forma de abuso online nos últimos 12 meses.

A Ofcom, agência reguladora de comunicação do Reino Unido, conduziu um estudo com o Gabinete do Comissário de Informação (ICO) para identificar as preocupações do país sobre o uso da Internet.

As descobertas, que foram publicadas no primeiro relatório anual da Ofcom em maio, mostraram que 23% das crianças foram vítimas de cyberbullying no ano passado, e 39% foram expostas a linguagem ofensiva online.